Frases.Tube

Amor de Irmã

Proteger se não é aprisionar se
Quando eu e meus irmãos eramos pequenos ganhamos de meu pai duas Jandaias, periquitos verdes com seus papos amarelos.
Demos o nome de Bill e Clinton (risos).
Colocamos os dois numa base de papagaio presa numa grade do portão de um dos quartinhos do quintal, tomavam Sol quando queriam e cobertos em sombra quando precisavam, sem correntes ou gaiolas, nunca presos, sempre livres!!
Um dia minha prima correu lá para casa E disse: Eu vi um gato passar na rua com um periquito na boca!
Desesperados corremos para ver se era algum dos nossos periquitos e quando chegamos lá não vimos nenhum dos dois. Choramos muito, e quando estávamos para voltar, de trás de um espelho velho que tinha lá no quartinho, saiu um dos periquitos tremendo e veio direto pra meu pai pedindo colo. Subiu em seu dedo e depois em seu ombro e ficou lá tremendo.
Depois disso tivemos tanto medo de outro gato que mantivemos o periquito trancado no quarto sem Sol durante dias, até meu pai construir uma gaiola para ele.
Aprisionamos o periquito na desculpa de protegê lo, escondemos o do mundo para protegê lo, deixamos ele vivendo entre grades para protegê lo
Pelo menos era a desculpa que usávamos.
Era notória a tristeza do periquito, a vida dele não acabou com o gato, mas acabou quando o aprisionamos.
Lembro me do periquito até hoje, do dia que eu o ganhei até o dia que ele morreu.
E hoje eu entendo que proteger não é aprisionar.
Aprisionamos sentimentos com medo de sofrer, esquecemos de viver com medo de nos machucar, mas a grande verdade é que as grades machucam mais do que a liberdade.
Para aquele periquito, viver um dia em seu habitat valeria mais que mil anos nas trevas de um quarto ou dentro de uma gaiola só podendo desejar estar fora, voando.
Quantas vezes perdemos a nossa liberdade com medo de arriscar mais, de amar mais, de viver mais, de conhecer pessoas, de viver com pessoas, de confiar nas pessoas porque em um dado momento da nossa vida sofremos
Não vale a pena a prisão,
Mas vale a pena o risco de voar, porque quando alçamos voou voamos por cima de todos os gatos.
O periquito não ficou até a sua morte preso, eventualmente o soltamos. Foi um exercício de confiança demorado e arriscado, mas ele morreu livre.
Arrisque se
Por Igor Improtta Figueredo