Frases.Tube

marylife

Estou cansada! cansada de ter que as vezes ser
o que não sou para agradar as pessoas.
Cansada de sorrir quando sinto uma enorme vontade
de chorar, chorar até extravasar ou secar minhas
lágrimas, que luto para que não inundam o meu rosto.
por achar que não se vale a pena.
cansada de fingir sentir o que não sinto
e tantas vezes fingi apenas para agradar aqueles que,
nunca se importaram em saber se estavam me agradando.
Cansada de dizer palavras sinceras tão sinceras que mesmo
assim foram duvidadas não acreditadas ou simplesmente jogadas
no lixo ou debochadas, acima dessa sinceridade fora massacradas por certos convencimentos, esnobismo e mania de grandeza.
cansada! de ouvir e nunca ser ouvida com
a mesma atenção, com a mesma paciência, na maior boa vontade
que eu, quantas vezes sem que pudessem ver a tristeza que
se estampava em meus olhos por achar que devia ter feito mais ou
quando achava que havia fracassado em ajudar quem tanto precisava
da minha ajuda. para depois ganhar um beijo, o beijo da traição
da falsidade, da mediocridade, o beijo que arde e machuca.
cansada por ter que entender todos em quanto
na primeira oportunidade esse mesmo todo lança um punhal
em minha costas e vara devagar para que entre todo
chegando a perfurar o meu coração sem se importar com a profundidade
do buraco e sorrir depois do estrago sem
dor na consciência se agiu certo ou errado não importa. deixam
o punhal cravado lá para mutilar aos poucos.
cansada! de viver brincando fazendo brotar sorrisos
dos lábios das pessoas ou arrancando boas gargalhadas e ser tachada
de engraçada, sempre com as mãos no coração das pessoas amenizando
a suas dores, fazendo as esquecer por um momento com esse meu jeito
louco de ser os seus desespero, suas solidão, depressão e fracassos
ou mesmo a dores do amor a dor da rejeição ou a dor da doença.
para depois virem com palavras ásperas. duras, amargas, frias .
cansada de amar superficialmente simplesmente por
achar que o cara é legal, de amar quando se esta longe
quando perto não se sentir nada, e ter que fingir, ou achar que
ama apenas por que o perdeu e vem um sofrimento embutido, que
com o passar dos dias as colas os parafusos começam a se soltar
e pensamos cadê todo aquele amor. não era verdadeiro.
ouve sim varias vezes
que pensei que estava sentindo outra vez o amor, mas não, era
apenas uma ilusão uma paixão que como num passe de mágica acaba
da mesma forma que veio, termina se bem ou acaba se muito mal
mas simplesmente acaba.
cansada! de pessoas que não me conhecem não convivem
comigo, nunca me viram, dizer que fiz ou disse isso ou aquilo.
e na hora da satisfação a pessoa simplesmente coloca uma cara de
anjo e tira o corpo fora para não se afogar em suas próprias acusações
sem ter como se defender esquece da educação ou fingi esquecer sem
nem um pedido de desculpas de ambas as partes a que disse a que acreditou.
simplesmente somem e se calam assustadoramente em uma atitude covarde.
cansada de perdoar setenta vezes sete, a cada
tapa que me davam, e a cada perdão na próxima levar um soco
na boca do estomago onde o dia inteiro arrasada a me perguntar
o por que desse soco, é quando se bate não se sente dor mas prazer
quando eu resolvo revidar com um tapa tão pequeno que perto dos vários socos
era um gesto de carinho , ao me dar conta do que fiz, e pedir não setenta
nem sete vezes mas sim um perdão, simplesmente diziam não
mas dizem para outros jamais a perdoarei o que ela fez não tem perdão.
só eu tenho que perdoar e esquecer tudo, mas sem
ter o direito de ser perdoada, mesmo assim ainda perdoarei setenta
vezes sete não importa se me perdoaram ou não.
cansada! de acharem que sou metida, que o meu
jeito de ser é forçado mesmo depois de meses virem que não
mudei nem uma virgula, não gosto do meu andar, do meu modo
de falar odeio a minha voz, detesto a cor dos meus olhos e o meu olhar
e mais ainda odeio o jeito de gesticular com as mãos e odeio
quando pego para conversar sério e ser tachada de inteligente
esses complementos odiosos me deram muitos traumas, e afastamentos
de amigas que eu adorava e que pensava que sentiam o mesmo por mim.
cansada de ser condenadas por amigas que costumam
dar em cima de namorados das próprias amigas e acharem que
farei o mesmo com elas, engraçado mesmo na idade em que
estou as novinhas eram para ser mais elas, não deviam se importar
comigo, não deviam se importar por um abraço inocente, que me dão
e acabam achando que estou gostando e que darei em cima,
simplesmente somem, é digno de dar risadas eu sou realmente sei lá
acho que era desbocada, brincalhona esse meu jeito não me faz
desrespeitar tanto elas quanto eles, e nem ser vulgar a esse ponto. não me interessa pegar o que é dos outros. sexo sem amor !!! pode ser decepcionante, alem do que para isso não precisa ser namorado de "amigas" sexo acha se em qual quer lugar a qual quer hora.
cansada da vida meu Deus como estou cansada!
se eu soubesse que iria para um lugar de paz para descansar
minha alma, eu arrancaria violentamente a minha vida.
mas sei que se fizer isso nunca teria paz e não estou disposta
a ficar vagando nesse mundo que para mim não é mundo mas sim um
verdadeiro inferno, quero me encontrar sim com todas essas pessoas
que me tornam o fardo de viver muito pesado em algum lugar,
peço todos os dias a Deus
que seja rápido o meu fim, e quando chegar essa hora
que seja como uma brisa leve suave que passa rapidamente.
E que não demore a chegar não terei nada a perder
Não agüento mais levar essa cruz, sei que o meu dia
esta escrito as vezes penso se essa data não podia ser
antecipada, sinto em meus olhos uma tristeza muito grande
não só em meus olhos mas também dentro de mim, mas seguro
a minhas lágrimas que mantenho boiando em meus olhos quando
sinto que esta para cair eu simplesmente as seguro com os dedos
A muito não choro, não quero chorar, mas o dia que meu corpo
repousar para todo o sempre, deixarei que minha alma chore
e derrame todas as lágrimas que segurei mas todas essas lágrimas
que escorrerão como a uma fina cachoeira irá chorar de felicidade.

Quantas: vezes
Quantas vezes eu quiz ser a melhor .amiga
companheira e algo mais.
E você me via sempre como uma estranha,
insignificante que me enchergava ,
apenas quando lhe convinha.ou apenas por,
nescessidade.
Quantas vezes te recebia sorrindo,e feliz,
por estar ali.
E você vinha hora triste,com o seu coração,
cheio de amargura e revolta.por algo que não,
deu certo em sua vida ou por alguns momentos,
infelizes.
Quantas vezes ouvia seus desbafos e me,
preocupava em te ajudar,as vezes até ,
sentindo me inultil por achar que falhou contigo,
por não estar ali do seu lado e poder olhar,
dentro de seus olhos para aliviar aquele,
brilho apagado que há neles,tirar de sua ,
testa aquela ruga de preocupação.
Mas quando eu estava com essa mesma ruga,
com esse mesmo olhos,você não percebia,e
simplismente virava me as costas,ou você,
ignorava me ou fingia não enchergar o ,
que ia no fundo de minha alma.
Quantas vezes eu te dizia meus sentimentos
e você fazia questão de me ferir,
falando de novos amores e parecia sentir,
prazer,nisso,pois sabia que estava ,
me ferindo.e ainda assim achava estar,
sendo sincero,Meu Deus acho que não sei mais,
o que é sinceridade.
Quantas vezes estavamos converçando e do,
nada!você vinha com palavras,ásperas
que doia bem lá no fundo ,como se fosse,
um tapa.E nem se tinha explicação para,tanto.
Quantas vezes,te dixava bilhetes,poesias,
te escrevia coisas que sentia,e sempre tão,
carinhosa,não se havia nem um sentimento,
dentro de seu coração,pois ficava inmuni,
duro como a uma pedra.o preço a apagar ,
por tudo o que fazia para lhe agradar,era
sempre dolorido.
Quantas vezes,que te ligava e era sempre
recebida friamente,então me restava ser breve,
A ponto de não sentir mais vontade de te ligar.
Mas insistia e persistia em ficar do seu lado,
mesmo sendo pizada,ignorada,e magoada.na
esperança de que não viesse ter os mesmo,
sentimentos que nutria por você.
Mas na esperança de me enchergar de se ter
pelo menos um pouco de carinho,um gostar que,
seja! ou uma consideração.ledo ingano isso jámais,
aconteceria.E a cada vez mais essas friezas,
foram me deixando cada vez mais arrasada,com
sentimento de culpa,me pergntava onde errei,
o que fiz,o que disse de errado,onde o magoei,
para ser deixada,como se fosse um nada.
Quantas vezes não estava bem!e você vinha todo,
feliz,e me narrava os aconteçimentos do dia,
seguinte,e eu eu ficava feliz por você tambem,
e ficava ali a te ouvir,quando minha vontade,
era sair,e sempre compreensiva.por que nunca,
se importou se estava bem ou não.
Você não se importava,não se interessava saber,
Alias interessava sim!!! quando achava que lhe ,
dizia respeito a sua pessoa,fora isso não era,
problema seu.Mas quantas vezes me preocupei em,
saber se estava tudo bem contigo,se aconteçeu,
algo que te aborreceu,se estava bem.
Eu para você não tinha importancia,eu era
apenas uma pedra em seu sapato,uma pedra que as,
as vezes te incomodava.e que se queria achar,
um geito de se livrar!quem sabe não apareceu,
esse geito.
Siga sempre em frente e não ouse olhar nunca,
para trás,pois lá atrás não significou nada,
ollhe para frente somente, para frente.
Talvez agora sejas feliz. E pense.
agora não haverá mais,quantas vezes